Dez tendências de decoração, por Pedro Ariel

27 JAN 2015
• Inspiração

O diretor de conteúdo e relacionamento da unidade de negócios arquitetura e decoração da Editora Abril, Pedro Ariel, realizou uma palestra em algumas lojas Lider, cujo tema era as novas Tendências de Decoração e formas de morar. Os designs apresentados pelo palestrante vão do clássico ao moderno, incluindo tendências que são compostas por mais de um estilo.

A Casa Ateliê

Atualmente algumas residências funcionam como oficinas, ateliês, locais de experimentação tanto de arte, quanto de artesanato, culinária, por exemplo. A casa precisa ser um local agradável tanto para o trabalho quanto para morar, com tranquilidade, sendo que os ambientes devem se completar.

Já para aqueles que têm o privilégio de trabalhar em casa e fazem seus próprios horários de serviço, a relação com o lar é de liberdade total. Essas pessoas cultivam suas próprias hortaliças, constroem seus próprios móveis, têm a casa como um laboratório para as diversas experiências. Vivem livres porque já fizeram sua liberdade interna. Não têm regras, não têm horários, só desfrutam do grande prazer de viver intensamente o lar e fazer dele o seu refúgio particular.

casaatelie

O apartamento do casal Kalina Juzwiak e Marcos Korody, é um exemplo e reflete a personalidade divertida dos dois.

Lúdico e divertido

O estilo lúdico desenvolve a criatividade, ele foge do padrão e envolve cores vibrantes e objetos de decoração inusitados, um espaço para afastar o estresse e possibilitar que adultos retornem a ser crianças, e ainda possibilita a customização. Ele mistura móveis modernos, peças antigas, e também objetos que adquirem novas funcionalidades.

ludico

O espaço possuí mesa de sinuca, pingue-pongue, autorama, dois fliperamas. Para que tudo coubesse no apartamento, a arquiteta responsável procurou soluções nada convencionais, como prender ao teto a mesa de pingue-pongue, que desce apenas quando o proprietário precisa.

 

Raízes: Contanto histórias

Um mix do rústico e moderno compõe o estilo Raízes, que é a mistura de peças brutas com outras contemporâneas, criando um espaço de personalidade.

O moderno é caracterizado por ser um estilo mais clean, prático e com poucos objetos, os móveis possuem linhas retas ou curvas, são mais simples, mas chamam bastante atenção. Já o estilo rústico é inspirado nas fazendas, por isso, objetos de ferro, madeira estão presentes nessa decoração. Cirando uma atmosfera calma, com ar de natureza e um toque de história.

Para criar o estilo raízes, é necessário buscar no passado, a inspiração para identificar os objetos que possuem em sua composição, seja na forma, cor, detalhe ou matéria- prima, o DNA do país que representa. Os elementos da decoração aos poucos vão criando uma história seja com influências indígenas, africanas ou europeias.

Ainda, deve haver harmonia entre a linha dos móveis e a paleta de cores escolhida. Para incrementar o ambiente: objetos e estampas étnicas, tapeçarias, cortinas, madeira antiga e objetos de origem animal são utensílios que integram o design.  Elementos providos da terra dão um ar aconchegante.

 

raizes

Peças artesanais que representam uma cultura ou localidade são utilizadas para compor o ambiente

 

Neonomadismo: menos é mais

Uma das vantagens apontadas por quem decide viver com menos é a possibilidade de levar a casa na mala. Nesse aspecto, a tecnologia móvel tem uma grande contribuição. O mundo de alguém pode se resumir a smartphone, tablet e algumas roupas. Assim a morada não se prende mais a uma localização geográfica. Para quem vive em trânsito, o trabalho deve dar prazer, a facilidade de viajar vem acompanhada da possibilidade  de se sentir em qualquer canto.

neo

A imagem acima retrata a questão de levar a casa na mala. O quadro e alguns objetos estão presentes em casas diferentes.

 

Refúgio bucólico
Um refúgio para escapar do agitado e barulhento mundo imposto pela globalização, para ter a sensação de acolhimento e proteção. Viver as lembranças, e retratar a vida em família são as características do estilo bucólico.

Com ar mais sóbrio, o estilo remete às paisagens naturais e ao sossego da vida no campo, as referencias estão nos buquês de flores e grandes janelas que recebem a luz do sol que compõe o ambiente. O mix de texturas da parede descascada, metais enferrujados e a pintura da parede descascada remetem ao passado e a história, são marcas desse estilo.

refugio

A composição dos espaço é cheia de memórias e abjetos que dão a personalidade do morador à casa.

 

Simples e Poético

A tendência do Simples e Poético aposta nos detalhes. Ambientes cheio de luz composto por cores claras trazem paz e equilíbrio. Sem excessos, a decoração é composta por peças de arte, objetos reaproveitados e de multiuso, muitas vezes inusitados que revelam o cotidiano com espontaneidade e autenticidade do morador. Um ambiente descomplicado e ao mesmo tempo cheio de personalidade. A busca do essencial e o desapego, o olhar para as coisas mais simples que nos cercam.  O excesso de consumismo é deixado de lado e os detalhes ganham status de protagonista.

Referências: Estúdio Manus, Bruno Guedes, Ainá Calia.

 

SIMPLES

A decoração é cheia de detalhes que fazem toda diferença.

 

Universo Feminino

O Universo Feminino deu entrada a consolidação da mulher no mundo do design e trouxe  uma nova perspectiva para os ambientes que negam a frieza, a dureza, o minimalista. O design ganhou a sensibilidade e ternura com um toque de realidade. Toda esta feminilidade veio para combater um pouco o ar tecnológico em casa, utilizando cores como rosa, laranja e tudo que envolva o universo feminino. Trabalhos feitos a mão, bordados, tramas artesanais e trançados também são utilizados.

Outro destaque são as linhas retas e elementos curvados com riqueza de detalhes. Texturas de tecidos como a renda, seda, cetim se opõem a superfícies planas. Estampas sinuosas combinadas a espaços com cores limpas, como branco, gelo, por exemplo. Os tons pastel predominam, mas cores escuras como o cinza e o preto do estilo Urbano podem aparecer em contraste com as peças antigas ou conhecidas como vintage e delicadas. Leveza nas cores, traços e texturas trazem a sensualidade e mistério feminino.

 

FOTO

Móveis clássicos ajudam a dar o toque feminino ao espaço.

 

 Urban Destroyed na decoração

O Urban Destroyed é uma tendência que despontou com os seus detalhes diferenciados. Com inspiração contemporânea, o estilo dispõe de paredes a mostra, cores escuras e peças marcantes para compor os ambientes.

O objetivo é criar um contraste, que o ponto forte do estilo, aplicando o high-low, ou seja, compor um ambiente que mescladas o clássico, o luxo e a elegância ao rustico sem acabamento e ao despojado, e com a essência urbana.

O Urbano está inserido no design desse ambiente por meios das peças e da arquitetura, o passado também está remetido nos objetos antigos reaproveitados para compor o espaço, como se esse estilo fosse a versão masculina do vintage. Essas marcas do passado se mantêm aparente na decoração, gerando admiração e compondo o espaço.

FOTO2

O espaço dos publicitários Ismael Goli e Mariana Balestra

Brasilidade

O Made in Brazil está tomando conta do mundo, e levando consigo as características de um país que cresce a cada dia, seja pelo poder de consumo, ou pela crescente economia.

O Design brasileiro tem caraterísticas únicas como, as cores fortes e contrastantes, a arte popular e o artesanato, tudo chama a atenção de quem está lá fora e também dos brasileiros, que passam a assimilar essa identidade.

Para ter a característica de Brasilidade, a peça deve ter um detalhe relativo ao Brasil, seja no tipo de bordado, na estampa ou no material utilizado. A alma da peça deve ser brasileira e representar sua história e seu povo.

A visão de Brasilidade teve seu auge na década de 1970, quando o design brasileiro começou a ser relacionado com elementos regionais, deixando de lado modelos europeus.

FOTO3

Vintage

Um reflexo da tendência ao escapismo que vivemos. Diante das inseguranças do mundo atual, buscamos voltar para algum lugar onde nos sentimos seguros. Produtos com tecnologias primitivas ou que nos remente às casas de nossos pais e avós nos confortam. Materiais como ladrilho hidráulico e papel de parede, por exemplo, voltam com bom humor.

vintage1

 

vintage2

 

Casa Divertida

De acordo com o Designer de Interiores e Ambientes, Eduardo Cunha, para uma casa ser divertida, ela tem que refletir as particularidades e as características dos seus moradores. Suas lembranças, suas histórias e tudo aquilo que foi conquistado durante sua trajetória devem ser mesclados de forma harmônica. O cliente deve escolher peças de mobiliário e adornos, que não sejam tão coerentes uns com os outros. Como por exemplo, misturar estampas e texturas dos tecidos das almofadas. Ou colocar um produto clássico perto de uma peça moderna. É o famoso “combinar descombinando”, que faz com que o olhar de quem observa o local não fique focado em apenas uma região isolada do ambiente. Organizar um ambiente dessa forma não é uma tarefa fácil, e para isso é necessário o serviço de um Design de Interiores.

foto7

Fotos Casa Claudia